Notícias

CDL-VR LANÇA PROJETO CONEXÃO SOLIDÁRIA

22/02/2021

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Volta Redonda (CDL-VR) lançou o projeto Conexão Solidária para continuar ajudando em melhorias da saúde na cidade, com foco na ampliação de leitos de UI/UTI no Campus Leonardo Mollica, da FOA/UniFoa, no Hospital Munir Rafful, no Retiro. A ideia dessa iniciativa surgiu com a campanha para arrecadar dinheiro entre os empresários para a construção de 30 leitos de tratamento intensivo para pacientes com Covid-19, no final de dezembro, depois de um pedido de socorro do prefeito Antônio Francisco Neto. Até agora, foram arrecadados mais de 260 mil reais e R$ 100 mil doados pela CDL, totalizando pouco mais de R$ 360 mil. Para saber como doar qualquer quantia, é só entrar em contato pelo telefone 3344-8050. Podem doar empresas e também pessoas físicas.

“Fizemos essa ação ligando para várias empresas e vimos como os empresários estavam preocupados com a situação e solícitos em ajudar e rapidamente conseguimos arrecadar R$ 260.000,00. Muitas empresas não podem doar R$ 10 mil, mas podem dar R$ 500,00, R$ 1 mil, ou seja, o valor que couber no orçamento delas. Então achamos justo abrir esse canal para que cada uma ajude como puder. Qualquer quantia é bem-vinda pelo bem da população da nossa cidade, que terá mais leitos disponíveis na rede pública de saúde. O importante é conseguir arrecadar o máximo possível, uma vez que o município não tem dinheiro em caixa para essa ampliação. Além disso, uma obra desse porte sempre precisa de recurso extra para um detalhe ou outro”, afirmou o presidente da CDL-VR, Gilson de Castro. 

Ele falou da importância dessa união neste momento em que o mundo inteiro atravessa uma crise provocada pela pandemia. “Desde o início, sempre nos colocamos à disposição para ajudar, para buscar uma solução para salvar vidas e empregos. E agora estamos conseguindo fazer esse projeto numa parceria com a FOA/UniFoa, prefeitura, empresários e tantas outras pessoas que se sensibilizaram. Estamos fazendo comerciais nas mais diversas mídias e nas nossas redes sociais, para mobilizar ainda mais doadores. Esperamos contar com o apoio de quem puder doar, qualquer valor”, acrescentou. 

Gilson ressaltou ainda que o nome do campus foi uma grata surpresa, porque é uma homenagem ao um grande empresário e empreendedor visionário, Leonardo Mollica, que foi um dos fundadores da CDL, sendo presidente de 1968 a 1973, e, depois, de 1981 a 1984. “Uma coincidência que só reforça a importância desse caminhar junto, economia e saúde. O seu Leonardo Mollica sempre foi um homem preocupado com o desenvolvimento da nossa cidade, de forma sustentável, buscando a união dos lojistas, e hoje, ele dá nome a um campus que vai ajudar a salvar vidas. Para nós todos, é uma grande honra”, comentou. 

As obras já estão em fase final. Nessa primeira etapa, estão sendo criados, segundo a Prefeitura, 18 leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e 12 de UI (Unidade Intermediária). Na fase seguinte dos trabalhos, mais 35 leitos de clínica médica serão construídos em outro andar do prédio.

Para o prefeito Antônio Francisco Neto, os investimentos ficarão como legado para a rede municipal de saúde mesmo com o fim da pandemia. “Teremos praticamente um novo hospital; e é assim que estamos chamando: Novo Hospital de Volta Redonda. Somos muito gratos a todos os parceiros que estão empenhados nessa obra”, disse Neto.

Reconhecida de Utilidade Pública: Lei Municipal Nº 1381/76 - Lei Estadual Nº 1559/89
Filiada: Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado do Rio de Janeiro.

Agência Interagir